quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Quem quer ser o candidato do Lula?

As eleições de 2010 continuam sem o mínimo de empolgação e ânimo. Mas queria registrar apenas uma percepção ao acompanhar um trecho do guia eleitoral pelo rádio (não tenho visto tv, então pode ser diferente).
Quem vai ficar com Mary?

O fato é que alguém um pouco mais desavisado, ao escutar a propaganda do José Serra, pode achar tranquilamente que este jovem senhor é o candidato do Lula, tamanha é a associação que tentam criar entre eles. Impressiona-me tanta falta de sentido ou qualquer raciocinio logico na campanha deste presidenciavel. 

Serra não tem não projeto, não tem propostas e nem criticar sabe, pelo jeito.

Situação hilária. Na mesma lógica segue Jarbas Vasconcelos por aqui, que, aliás, deve levar uma goleada histórica. Pesquisa do Vox Populi de hoje dá Eduardo Campos com 71% x Jarbas 19%. 

Apesar de acreditar numa falsa polarização entre estes supostos projetos divergentes, tanto em nível nacional, quanto estadual, o que mais me alegra é imaginar que a lapada que Serra e Jarbas vão levar deve ser gigantesca.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Torcida do Sport Club do Recife


Minha consciência está de prova: tenho evitado (nem sempre conseguido) escrever coisas sobre futebol. No máximo 140 caracterezinhos no twitter. 

Mas uma pesquisa divulgada nos últimos dias nos trouxe informações, que, embora esperadas, comprovam a força da torcida do Sport.

A pesquisa é esta, do IBOPE

Objetivamente, os dados são estes:
O Sport tem hoje a 11ª maior torcida do país. Consolida-se como a maior torcida do Norte-Nordeste-Centro-Oeste, inclusive, numericamente maior que times afagados pela mídia, como Botafogo e Fluminenses.
Bem... alguns rubro-negros podem dizer que tal resultado seria esperado. É verdade. Mas surgiu uma novidades, ao menos para mim, muito interessante:
Entre os 20% mais pobres do país, o Sport tem a 6ª maior torcida! Um verdadeiro clube de massas!
Mas não é só isso, a la Polishop. Entre os menores de 16 anos, o Sport é a 8ª maior torcida do Brasil! 

Excelentes dados que nos mostram que é possível vencer batalhas duríssimas frente parabólicas, Globo, etc etc etc, como somos obrigados a enfrentar cotidianamente. 

A postagem era, realmente, só para compartilhar com os poucos que ainda não tinham visto resultados tão vistosos!

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Plebiscito pelo Limite da Terra

Tudo tem limite

Frei Betto

Entre 1º e 7 de setembro o Fórum Nacional da reforma agrária e Justiça no Campo promoverá, em todo o Brasil, o plebiscito pelo limite da propriedade rural. Mais de 50 entidades farão da Semana da Pátria e do Grito dos Excluídos, celebrado todo 7 de setembro, um momento de clamor pela reforma fundiária em nosso país.

Vivem hoje na zona rural brasileira cerca de 30 milhões de pessoas, pouco mais de 16% da população do país. O Brasil apresenta um dos maiores índices de concentração fundiária do mundo: quase 50% das propriedades rurais têm menos de 10ha e ocupam apenas 2,36% da área do país. E menos de 1% das propriedades rurais (46.911) têm área acima de 1 mil hectares cada e ocupam 44% do território (IBGE, 2006).

As propriedades com mais de 2.500ha são apenas 15.012 e ocupam 98,5 milhões de hectares: 28 milhões de hectares a mais do que quase 4,5 milhões de propriedades rurais com menos de 100ha.

Diante desse quadro de grave desigualdade, não se pode admitir que imensas propriedades rurais possam pertencer a um único dono, impedindo o acesso democrático à terra, que é um bem natural, coletivo, porém limitado.

O objetivo do plebiscito é demonstrar ao Congresso Nacional que o povo brasileiro deseja que se inclua na Constituição um novo inciso limitando a propriedade da terra princípio adotado por vários países capitalistas a 35 módulos fiscais. Áreas acima disso seriam incorporadas ao patrimônio público e destinadas à reforma agrária.


terça-feira, 10 de agosto de 2010

Florestan Fernandes segue vivo

Do sítio do MST, homenagem ao mestre Florestan Fernandes
Mestre Florestan Fernandes

Há 15 anos, no dia 10 de agosto de 1995, morria Florestan Fernandes, uma referência continental no desenvolvimento metodológico e científico da sociologia.
Paulista, nascido em 1920, filho de migrantes portugueses, deixou mais de 50 obras escritas. Foi deputado federal constituinte, eleito pelo Partido dos Trabalhadores, e professor rigoroso.
De origem humilde, fez de tudo na vida, trabalhando e ajudando na sobrevivência familiar, até romper as barreiras elitistas da USP (Universidade de São Paulo) e se tornar seu aluno, professor e mais tarde um mestre de referência.
Sempre manteve a coerência ideológica e compromisso com a classe trabalhadora. Punido pela ditadura militar, amargou o exílio. Voltou ao Brasil e continuou a luta em defesa da classe.
É sem duvida o mais importante intelectual orgânico do século 20. Bebeu na fonte dos clássicos e estudou com profundidade as classes sociais na sociedade brasileira.
Defendeu com coragem a necessidade de uma verdadeira revolução social, que pudesse construir uma sociedade com justiça e igualdade em nosso país.
O povo brasileiro, a classe trabalhadora, os movimentos sociais e os intelectuais orgânicos - todos os que desejamos mudanças na sociedade brasileira - ficamos de luto.
Seu legado, no entanto, nos anima a continuar a luta.
Florestan defendeu como ninguém a importância da educação, da formação da consciência de classe, do acesso ao conhecimento como uma necessidade da classe trabalhadora para se libertar da humilhação, discriminação, opressão e da exploração imposta pelos ricos e poderosos.
O MST se orgulha de ser um dos seus seguidores e de ter apreendido muito com seus escritos e com seu exemplo. Por isso nossa escola nacional de formação de quadros, localizada em São Paulo, se chama Escola Nacional Florestan Fernandes.
Florestan Fernandes segue vivo, por sua obra e exemplo de vida.
"Contra a intolerância dos ricos, a intransigência dos pobres"!
São Paulo, 10 de agosto de 2010.
Secretaria Nacional do MST

terça-feira, 3 de agosto de 2010

A Tomada da Reitoria

Ofereço-lhes mais um dos sempre bons artigos do professor e amigo Lurildo Saraiva. Tenho certeza que gostarão, assim como aconteceu com o último. A propósito, quem não o viu, pode acessá-lo clicando aqui

Governador BIÔNICO Nilo Coelho

A tomada da Reitoria

Em 2 de outubro de 1968 fui avisado que no dia seguinte, uma quinta-feira, iríamos falar com o Reitor Murilo Guimarães, de uma forma ou de outra. A situação difícil e precária do hospital Pedro II nos exigia uma ação radical, com provável ocupação da Reitoria. Na verdade, houve séria discussão sobre essa manifestação, os que estavam ligados ao “Partidão” foram contra, a exemplo de Carmem Chaves, mas venceu na votação a linha adotada pela Ação Popular, a qual se alinhava a liderança do DA. Nesse ano, já estava um tanto afastado da diretoria do DA, então comandado por Marcos Burle de Aguiar, mas mesmo no curso clínico, me mantinha a par dos acontecimentos, apoiava e participava da luta.

A Reitoria da UFPE ocupava prédio situado em frente à Sétima Região Militar, atual representação do Ministério da Educação, nas cercanias do IV Exército: local inapropriado para qualquer manifestação estudantil, no ano em que, como forças antípodas, o governo militar e o movimento estudantil, orientado pela UNE, estavam cada vez mais radicais em suas posições. Numa atitude que me seria depois muito útil – álibi usado na minha defesa do decreto-lei 477 - pedi ao colega Roberto Guimarães que assinasse a minha presença em aula de Obstetrícia, que ocorreria na tarde do dia programado.