quinta-feira, 30 de abril de 2009

Curtas sobre a política em Pernambuco

Apesar da maior parte dos visitantes do Propalando serem de fora de Pernambuco, permitam-me rápidos comentários sobre a política aqui no estado.

***

Tô doido para que alguém me diga onde a oposição de direita em Pernambuco (PMDB, PSDB, DEM, PPS) quer chegar com 'lideranças' como Terezinha Nunes e Jacilda Urquiza na Assembléia Legislativa. São sofríveis seus discursos que acompanho ocasionalmente pelo canal 11. Acho que o assunto mais interessante que as vi tratando foi sobre placas enferrujadas em alguma BR do estado.

***

E a CELPE cada vez mais consolidada como o inimiga nº1 do povo pernambucano. Depois da ANEEL aprovar uma redução das contas domésticas em cerca de 5%, a CELPE conseguiu uma liminar que cancela tal redução e ainda permite que a CELPE aumente os valores cobrados desde já.
Mas situação constrangedora mesmo ficou para o governador. Até outdoors assinados pelo PSB, mas falando em nome do povo pernambucano (???), agradeciam a Eduardo Campos pela conquista da redução dos preços.

Pois foi no mesmo dia que vi o outdoor que a CELPE conseguiu a liminar.
Resta-nos fortalecer a luta em nosso estado contra esta empresa que só escancara o quão foram perniciosos os processos de privatização em nosso país.

***

Existe algo mais ridículo que a propaganda do PPS se apoiando no passado do PARTIDÃO (PCB) para defender todo o seu ideário reacionário e entreguista? Tem. É o próprio Roberto Freire

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Valeu, Joaquim Barbosa!

"Vossa Excelência não está falando com seus capangas do Mato Grosso"
frase do Ministro Joaquim Barbosa ao Ministro-Bandido Gilmar Mendes

-

-
GOOOLL! E agora no placaaaaar: Joaquim Barbosa 1 x 0 Gilmar Mendes

Valeu, Joaquim!

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Nota do MST

Nota do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra - Pará

Em relação ao episódio na região de Xinguara e Eldorado de Carajás, no sul do Pará, o MST esclarece que os trabalhadores rurais acampados foram vítimas da violência da segurança da Agropecuária Santa Bárbara. Os sem-terra não pretendiam fazer a ocupação da sede da fazenda nem fizeram reféns. Nenhum jornalista nem a advogada do grupo foram feitos reféns pelos acampados, que apenas fecharam a PA-150 em protestos pela liberação de três trabalhadores rurais detidos pelos seguranças. Os jornalistas permaneceram dentro da sede fazenda por vontade própria, como sustenta a Polícia Militar. Esclarecemos também que:

1- No sábado pela manhã, 20 trabalhadores sem-terra entraram na mata para pegar lenha e palha para reforçar os barracos do acampamento em parte da Fazenda Espírito Santo, que estão danificados por conta das chuvas que assolam a região. A fazenda, que pertence à Agropecuária Santa Bárbara, do Banco Opportunity, está ocupada desde fevereiro, em protesto que denuncia que a área é devoluta. Depois de recolherem os materiais, passou um funcionário da fazenda com um caminhão. Os sem-terra o pararam na entrada da fazenda e falaram que precisavam buscar as palhas. O motorista disse que poderia dar uma carona e mandou a turma subir, se disponibilizando a levar a palha e a lenha até o acampamento.

2- O motorista avisou os seguranças da fazenda, que chegaram quando os trabalhadores rurais estavam carregando o caminhão. Os seguranças chegaram armados e passaram a ameaçar os sem-terra. O trabalhador rural Djalme Ferreira Silva foi obrigado a deitar no chão, enquanto os outros conseguiram fugir. O sem-terra foi preso, humilhado e espancado pelos seguranças da fazenda de Daniel Dantas.

3- Os trabalhadores sem-terra que conseguiram fugir voltaram para o acampamento, que tem 120 famílias, sem o companheiro Djalme. Avisaram os companheiros do acampamento, que resolveram ir até o local da guarita dos seguranças para resgatar o trabalhador rural detido. Logo depois, receberam a informação de que o companheiro tinha sido liberado. No período em que ficou detido, os seguranças mostraram uma lista de militantes do MST e mandaram-no indicar onde estavam. Depois, os seguranças mandaram uma ameaça por Djalme: vão matar todas as lideranças do acampamento.

4- Sem a palha e a lenha, os trabalhadores sem-terra precisavam voltar à outra parte da fazenda para pegar os materiais que já estavam separados. Por isso, organizaram uma marcha e voltaram para retirar a palha e lenha, para demonstrar que não iam aceitar as ameaças. Os jornalistas, que estavam na sede da Agropecuária Santa Bárbara, acompanharam o final da caminhada dos marchantes, que pediram para eles ficarem à frente para não atrapalhar a marcha. Não havia a intenção de fazer os jornalistas de “escudo humano”, até porque os trabalhadores não sabiam como seriam recebidos pelos seguranças. Aliás, os jornalistas que estavam no local foram levados de avião pela Agropecuária Santa Bárbara, o que demonstra que tinham tramado uma emboscada.

5- Os trabalhadores do MST não estavam armados e levavam apenas instrumentos de trabalho e bandeiras do movimento. Apenas um posseiro, que vive em outro acampamento na região, estava com uma espingarda. Quando a marcha chegou à guarita dos seguranças, os trabalhadores sem-terra foram recebidos a bala e saíram correndo – como mostram as imagens veiculadas pela TV Globo. Não houve um tiroteio, mas uma tentativa de massacre dos sem-terra pelos seguranças da Agropecuária Santa Bárbara.

6- Nove trabalhadores rurais ficaram feridos pelos seguranças da Agropecuária Santa Bárbara. O sem-terra Valdecir Nunes Castro, conhecido como Índio, está em estado grave. Ele levou quatro tiros, no estômago, pulmão, intestino e tem uma bala alojada no coração. Depois de atirar contra os sem-terra, os seguranças fizeram três reféns. Foram presos José Leal da Luz, Jerônimo Ribeiro e Índio.

7- Sem ter informações dos três companheiros que estavam sob o poder dos seguranças, os trabalhadores acampados informaram a Polícia Militar. Em torno das 19h30, os acampados fecharam a rodovia PA 150, na frente do acampamento, em protesto pela liberação dos três companheiros que foram feitos reféns. Repetimos: nenhum jornalista nem a advogada do grupo foram feitos reféns pelos acampados, mas permaneceram dentro da sede fazenda por vontade própria. Os sem-terra apenas fecharam a rodovia em protesto pela liberação dos três trabalhadores rurais feridos, como sustenta a Polícia Militar.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Crise do Capitalismo

Aproveito este momento de insônia para divulgar um excelente material sobre a Crise do Capitalismo.


É a cartilha "Para Debater a Crise" desenvolvida pela Assembléia Popular para este tema.

Tema essencial nos dias atuais para entender o que se passa no mundo

Para baixá-la, clique aqui

Bom debate!

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Retalhos de Cetim

Bonita música de Benito di Paula.

Seguem dois vídeos. Os dois cantados por mulheres. Talvez eu tenha realmente um fetiche pelas vozes femininas...

O primeiro, interpretação do grupo Samba de Rainha





O segundo, achei por acaso no youtube, mas agradou


quarta-feira, 15 de abril de 2009

Juizo Final no Trombone, Trompete e Guitarra

Dentro do turbilhão que tenho vivido nos últimos meses, principalmente com a carga maior de estudos e trabalho, tenho buscado aos poucos recompor elementos importantes do meu dia-a-dia, dos meus gostos, enfim...

Um deles é a música. Não toco nada, mas adoro música e sempre que posso faço minhas pesquisas de sons e leituras. Inclusive, sempre coloco à disposição dos amigos e amigas o meu acervo de mais de 20 mil músicas que levantei nos últimos anos. Algum dia concluirei a catalogação.

Mas indo ao que interessa, disponibilizo dois vídeos da música Juízo Final do Nelson Cavaquinho. Simplesmente da porra!

No primeiro, interpretação de Zé da Velha e Silvério Pontes.




No segundo, por Maquinado, o arretado projeto paralelo de Lúcio Maia, do Nação Zumbi.






segunda-feira, 13 de abril de 2009

Resposta a um amigo (2)

Infelizmente, escrevo esta resposta com muito atraso (quase 40 dias depois). Uma grande dose de trabalho mais algumas pitadas de desorganização não me permitiram tirar um tempo para atualizar o blog e, por tabela, responder mais uma vez aos comentários de Fred.

Alguns pontos perderam o "tempo" (para não dizer 'time') para o debate. Mas lanço algumas reflexões para não ficarem sem respostas algumas das besteiras (haha) que Fred escreveu.

Desta vez não transcrevo as suas colocações. Vou por tópicos. E, se houver resposta, coloco como postagem. Inclusive de alguns outros amigos que colocaram as impressoes por email ou pessoalmente.

Para ler minha última postagem e os comentários de Fred, Clique aqui

Mas vamos lá:

Carla Bruni:


Ainda bem que superamos este ponto. Resta-nos tempo para admirar a sua beleza..haha

Caso Battisti:


Certo, Fred. Acho que não chegaremos a canto nenhum neste debate. Poderia ficar aqui colocando alguns dos elementos do direito que, como leigo, li naquele momento. Até publico algo se os amigos Rodolfo ou Beto indicarem. Mas você, como já disse antes, fincado numa postura de suposta neutralidade e imparcialidade, não leva em consideração a questão política.

Para mim não tem essa de olhar com os mesmos olhos para os crimes de um sanguinário ditador paraguaio e para os supostos crimes cometidos por um combatente comunista. Você chega ao ponto de incluir nas comparações os alegóricos Osama e Saddam Hussein. (O.o)

O que a Itália coloca é que foram crimes comuns e isso de fato não foram.
Mas realmente acho que pouco avançaremos (ou avançaríamos) neste debate.

Democracia:


Muito infeliz sua declaração onde afirma que "minha democracia depende da figura A, B ou C" e que a "construção de uma soberania popular depende da figura A, B ou C" e, para piorar de vez, associa às minhas leituras de Lenin.

Não sei o que o camarada desconhece mais: se são as minhas posições ou se é a obra de Lenin.
Já coloquei na outra postagem e repito: Não vejo como ideal que um PROCESSO POLÍTICO dependa de Hugo Chavez ou qualquer outra pessoa. Mas, infelizmente, ainda não foi possível construir algo diferente na Venezuela. A política na América Latina, e naquele país não poderia ser diferente, ainda sofre com o atraso mantido por muitas décadas de uma aliança nefasta entre latinfundiários e a burguesia.

E ai, fechamos completamente ao afirmar que a luta política deve passar longe dos personalismos. Mas é uma construção. Daí a importância de uma boa política de formação de quadros.

Criticar Chavez pela questão dos aeroportos ou engolir a conversa que ele destruiu "o aparato de mídia" é, no mínimo, dar muito ouvido a Mírian Leitão e Alexandre Garcia.

Chavez tem fortalecido esta política nacionalista com outras intervenções, como expropriações de grandes terras ociosas e ocupação de fábricas produtoras de arroz acusadas de estocar o produto a fim de promover uma alta nos preços.

Junto a isso, outros setores já passaram e mais outros passarão por uma processo de estatização. E aí, nesse ponto, talvez tenhamos alguma discordância central. Não sei para você, mas para mim, esta etapa é fundamental em qualquer embate ao imperialismo que por aqui reina.

Mas estas coisas a grande mídia não passa, Fredão.

Bem, acho que é isso. Grande abraço!

sábado, 11 de abril de 2009

A Verdadeira Maionese e a Mentira

Ao contrário do que às vezes se pensa, as gorduras são elementos importantes e essenciais em nossa alimentação. Não vou entrar agora naquela falação de HDL, LDL, e o que é gordura 'boa' ou gordura 'ruim'. Mas gostaria de partir deste pressuposto para uma breve análise de uma propaganda que vi pela primeira vez esta semana.


Trata-se de uma propaganda da maionese Hellmann's em que há uma supervalorização das supostas parcas calorias presentes em uma colher de tal produto.

É muita cara de pau!

Se a pessoa se descuidar, ao fim dos 30 segundos do 'reclame', terá certeza que será muito mais saudável uma boa maionese, a uma fruta qualquer, por exemplo.

Repito: é muita cara de pau, além de um grande absurdo. A propaganda vende a imagem que o mito a ser desbancado estaria no fato de ser "uma bomba calórica". A propaganda no sítio deste famigerado produto apela ao ponto de passar a imagem de ser um alimento mais saudável que uma maçã, ao dizer que uma colher de sopa de maionese tem menos calorias que tal fruta.

Teria a maça também 1/3 de sua composição de gordura? (fizeram a danada da reforma ortográfica e não inventaram ainda o ponto de ironia... é uma pena)
Tenho feito estas reflexões, talvez por acompanhar o ambulatório de obesidade no meu rodízio atual de Cirurgia Geral. E na última quarta-feira, deparei-me atendendo um rapaz de 23 anos, 1,59m e 146kg que me fez a seguinte pergunta, ao discutirmos a importância de uma modificação em sua dieta, independente da realização da redução do estômago : "Doutor (SIC), o senhor gosta ou não gosta de um bom hamburguer com catchup e maionese?"
Agora, imagina este rapaz municiado com esta informação advinda deste importante meio de (de)formação de nossa sociedade?

Infelizmente a mídia burguesa tem o poder que tem em nosso país e faz o que bem quer. Se nem para medicamentos há uma boa regulação, imagina regularmos propaganda de alimentos?

Esse pessoal "d'A Verdadeira Maionese" são, na real, uns grandes mentirosos!

Ahh. E quanto ao diálogo com o candidato a gastroplastia, o que me ajudou foi ter diminuido meu consumo em mais de 90% do gorduroso produto. Mesmo assim, esse embate com a mídia é lasca...

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Mentiras do 1º de Abril

Eu sei que estou devendo muitas postagens...

Mas queria só compartilhar como odeio estas mentiras de 1º de abril. Que saco!!