quarta-feira, 4 de junho de 2008

PM Pernambucana, Violência, Futebol e a Imprensa

Este fim de semana o Brasil pôde acompanhar as lamentáveis cenas ocorridas durante o jogo Náutico 3 x 0 Botafogo pelo Campeonato Brasileiro. Quem foram os protagonistas?

André Luís e Bebeto de Freitas (zagueiro e presidente do Botafogo, respectivamente) e a PM Pernambucana.

De um lado um time completamente fora de si (agora entendo a fama de chorões e a onda do chororô). Equipe desequilibrada emocionalmente, o que explica a também fama de amarelões quando em partidas decisivas.

Um homenagem do Sport ao time do Botafogo e à imprensa do Sudeste

E estrelando, o zagueiro André Luís. O grande causador de toda a balbúrdia ocorrida no Estádio dos Aflitos. Se álguem merece uma punição exemplar, este merecedor é o pretenso zagueiro. O grande agressor de fato. Seja ela a agressão física contra um torcedor do Náutico ao chutar uma garrafa que atinge um senhor na arquibancada, seja a agressão com palavras e gestos obscenos para esta mesma torcida.
Completando o time, o Bebeto de Freitas, que, aparentemente, achou o assunto que faltava para encobrir sua sucessão de fracassos na direção do time carioca.

Por outro lado, não quero aqui ficar defendendo a PM pernambucana e o CHOQUE. Aliás, neste mesmo blog é possível encontrar as mais diversas críticas a nossa força policial, sempre a postos quando o assunto é criminalizar os nossos movimentos sociais.
Inclusive, há ocorridos de violência em jogos do campeonato pernambucano protagonizados pelo CHOQUE.
MAS...PORÉM...ENTRETANTO...TODAVIA...apesar do despreparo conhecido, acredito que o CHOQUE não errou em sua abordagem ao jogador botafoguense. Depois das agressões, o que ele merecia era prisão.

No meio disso tudo, o Náutico. Todo mundo sabe que sou Sport. Mas não há como não ficar indignado com o que estão a tramar com o clube alvirrubro. É só haver oportunidade, para tentarem garfar o Sport também.

E por fim, como não poderia deixar de ser, a mídia convencional brasileira dando um show de baboseiras.
Figurões posando de arautos da paz e da não-violência quando o acontecido é em Pernambuco.
Mas há pouco o Sport jogou em São Januário, teve ônibus apedrejado, vestiários trancados impossibilitando ao time se aquecer em campo, torcida rubro-negra sofrendo as maiores humilhações, mas não vimos ninguém dessa mídia levantar um dedo para apontar tais acontecidos.

Quem tem medo sou eu, cara-pálida!

Não sei quem é o mais "galhofeiro" da história: O Presidente da FERJ, Rubens Lopes, que pediu fim dos jogos em Pernambuco ou o técnico Wanderley Luxemburgo, que afirmou ter medo de vir jogar em Pernambuco.
Medo tenho eu de passar perto desses senhores...


Espero que tudo não passe realmente do típico chororô e acordem do papel ridículo que teimam em fazer.

Em tempo: Recomendo o texto Preconceito no País dos Caolhos do blog Ababelado.com

Um comentário:

  1. Isso é um absurdo. Não acompanho futebol, mas acabei me batendo com esta notícia zapeando na TV.

    Pode ter certeza que este bafafá todo só está sendo feito porque o problema foi em pernambuco. Se fosse em SP contra a torcida do Corinthians ou no RJ contra a torcida do Flamengo ninguém tava dizendo nada.

    Cestas básicas foram pouco para este jogador, que deveria ser suspenso até o fim do Brasileirão 2008.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails