quinta-feira, 28 de junho de 2007

"Somos todos socialistas"

Há algumas postagens atrás, escrevi que quando menos esperamos, mais absurdos acontecem. Poisé. Acho que sou muito ingênuo mesmo, porque ainda me impressiono com determinadas coisas que vou te contar!! Quem sabe faz parte daquela coisa de não perder a capacidade de se indignar nunca, não é mesmo??

O fato é que eu acho que chegamos ao fundo do poço. Ia até parar um pouco de falar sobre política aqui, já que estamos bolando uma retomada do "As Veias Abertas", mas é que não deu...

Terça-feira passada sai uma declaração de Inocêncio Oliveira em uma reportagem do JC: "Somos todos socialistas".

Cara de Pau (2)

Como diríamos na velha guarda, mas não tão velha assim, da Ciranda: "QUÊÊÊ?!?!"

Será que ninguém vai parar ele na rua e dizer: "CALA A BOCA, ESCRAVOCRATA DE MERDA!" "PASSOU A VIDA FODENDO O POVO E VEM SE DIZER SOCIALISTA!?!".

Não estou dizendo que as pessoas a quem ele se refere sejam socialistas, mas ele é emblemático!!

A seguir, o trecho da reportagem que cita sua declaração:
"Inocêncio alegou que os contatos com João Paulo são por conta da chance de o PR atrair “um ou dois vereadores do Recife”. No evento, não poupou elogios ao prefeito, ao governador Eduardo Campos (PSB) e ao presidente Lula. E surpreendeu, ao dirigir-se a João Paulo e seu vice, Luciano Siqueira (PCdoB) e soltar: “Somos todos socialistas”."

domingo, 24 de junho de 2007

BNegão e os Seletores de Frequência

Postagem em homenagem a meu amigo Fernando Feio. Sem muita conversa mole. BNegão e os Seletores de Frequência.

Para quem não conhece, BNegão ganhou destaque quando compunha o Planet Hemp. Segundo sua própria descrição, o seu som representa o "LadoB da Black Music": leia-se Dub, Hip-Hop, Jazz, Funk 70, Ragga, Samba e Miami Bass, podendo tambem chegar às raias do Hardcore e do Grind-Core."

Então é isso. Um abraço! Para mais, acessa o síto da galera: http://www.bnegao.com.br




Dança do Siri



Relutei, relutei, relutei... mas este vídeo é hilário. Três rapazes dando uma "palhinha" num "flash" ao vivo do Jornal Nacional.

Prometo que não coloco mais esse tipo (especificamente) de besteira :)

quarta-feira, 20 de junho de 2007

Acontece

Quem nunca viveu uma situação como esta que atire o primeiro comentário. Ótimo curta de animação. Como diz a própria descrição do autor: "baseado em vários fatos reais"

O curta é "O Paradoxo da Espera do Ônibus". Bom proveito!

---

---

segunda-feira, 18 de junho de 2007

Fraude em artigo da Constituição

É impressionante como as vezes, quando nos achamos locupletados com tantas absurdidades, a coisa só piora.

Cara de Pau

Não sou o presidente Lula, mas de vez em quando me vêm (à mente) ditados populares e, nesse momento, chegou, de cara, o famoso "quanto mais rezo mais assombração aparece". Bom, eu não rezo, mas deixa pra lá... esse é um outro debate.

A parada é que dois professores da UNB fizeram um estudo e defendem que o Nelson Jobim (ex-presidente do STF e atual queridinho de Lula, na época deputado constituinte pelo PMDB gaúcho e líder do partido) e o ex-deputado Gastone Righi (SP) (na época liderava o PTB) inseriram um dispositivo na Constituição Federal que, segundo os professores, beneficiou credores internacionais da dívida externa.

Nelson Jobim à esquerda e o presidente Lula à direita (ã???)

Os professores Adriano Benayon e Pedro Antonio Dourado de Rezende, autores da pesquisa, afirmam que parte de um artigo foi incluído na Carta Magna sem passar pelo Plenário.
Inclusive, cerca de quatro anos o próprio Nelson Jobim admitiu ter incluido dois artigos na Constituição, sem submissão da proposta ao Plenário!

Para mais informações, indico a notícia do Congresso em Foco, de onde retirei a informação.
Em Anatomia de uma fraude à Constituição você tem acesso ao próprio trabalho produzido.

quarta-feira, 13 de junho de 2007

Paz Armada?

Esta notícia me chamou a atenção. Nela não há absolutamente novidade alguma, mas serve sempre pra nos chamar a atenção para dois fatos:
1. o rumo que estamos tomando
2. e para a hipocrisia com a qual a grande imprensa trata esta questão, quando se escandaliza, por exemplo, quando o Presidente Chavez anuncia a compra de alguns aviões.

Mas, voltando à notícia, ela segue a tendência dos últimos anos: os Estados Unidos representando quase 50% de todo o gasto militar do mundo.

Três detalhes são muito interessantes neste relatório:
1. A China, como está no corpo da notícia, atingindo o 4º lugar, ultrapassando o Japão.

2. Dos 10 países que mais importam armas hoje no mundo, 5 são do Oriente Médio, (exatamente isso! CINCO!) as principais transações são feitas dos EUA e União Européia para Israel, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos. Enquanto isso, as compras de armas (em quantidade bem menor) do Irã, em sua grande parte originadas da Rússia, são tidas como absurdo. Absurdo é esta manipulação da grande mídia. Isso sim deveria ser inaceitavel.

3. e por fim, o fato de que os cinco países que compõem o Conselho Permanente de Segurança da ONU (China, EUA, França, Reino Unido e Rússia) mantêm juntos cerca de 26 mil ogivas nucleares! E tome hipocrisia da imprensa!

Tudo isso alimentado por inúmeros pequenos conflitos localizados que acontecem neste exato momento no mundo todo. A "que senhor" tudo isso está servindo?

Eis a notícia em seguida. O endereço para quem quiser conhecer mais sobre o Instituto abaixo citado é http://www.sipri.org/

Gastos militares no mundo alcançam US$ 1,2 trilhão
Publicado em 11.06.2007, às 10h24

Os gastos de armas realizados por governos de todo o mundo alcançaram US$ 1,2 trilhão em 2006, uma elevação de 3,5% nos gastos militares do planeta em comparação com o ano anterior, revelou o Instituto de Pesquisa de Paz Internacional de Estocolmo (conhecido pelas iniciais Sipri) em um relatório anual divulgado nesta segunda (10).

De acordo com o documento, a China superou o Japão na condição país asiático que mais gastou em armas ao longo do ano passado, ao mesmo tempo em que os Estados Unidos mantiveram-se isolados na dianteira do ranking de gastos militares.

Confira abaixo o ranking dos países que mais gastam:

1) Estados Unidos, US$ 528,7 bilhões;

2) Grã-Bretanha, US$59,2 bilhões;

3) França, US$53,1 bilhões;

4) China, US$49,5 bilhões;

5) Japão, US$43,7 bilhões;

6) Alemanha, US$37 bilhões;

7) Rússia, US$34,7 bilhões;

8) Itália, US$29,9 bilhões;

9) Arábia Saudita, US$29 bilhões;

10) Índia, US$23,9 bilhões.

Fonte: Agência Estado

sexta-feira, 8 de junho de 2007

"Quem não reage rasteja" (2)

Recebi de meu tio, Lula Wanderley, artista plástico e psiquiatra, um texto do seu amigo Edmar Oliveira, também psiquiatra, sobre o Baixio das Bestas de Cláudio Assis.

Saudades de tio lula e tia gina. Abraços pro Edmar também!

Nesta postagem também um vídeo do Cláudio Assis apresentando o filme num festival em Aracaju. O cara é foda mesmo! O Cláudio é um daqueles caras classicamente classificados pela sociedade de "louco". Viva o cinema de Cláudio Assis!

Abaixo o texto de Edmar e, seguindo, o vídeo com o Cláudio Assis. Abraços!

CINEMA AMARELO
Edmar Oliveira

Sabe aquele filme que a gente acaba de ver e não sabe se é bom ou ruim? O Baixio das Bestas é um desses. Só que, diferente dos outros, você sai do Baixio e fica besta como o filme vai ficando bom em crescente. Cláudio Assis já tinha mostrado seu talento em Amarelo Manga. E Amarelo é tão bom cinema que a gente fica com medo do Cláudio não fazer coisa melhor e ficar, como muitos cineastas, preso ao filme de estréia. Não é o caso. O Baixio é um cinema amarelo de verdade.

A partir de um poema de Ascenso Ferreira sobre a usina de cana nordestina moer aquela gente sem destino, o filme entra no cotidiano da pobreza, da prostituição, do folclore do maracatu, na vida vazia dos agroboys da burguesia rural pernambucana. O problema do filme é que Cláudio Assis elimina o simbólico e nos deparamos com o real de maneira muito intensa, principalmente se o espectador é nordestino como sou. Aí a gente entra na tela como naquele filme do Woody Allen. E nos impacta a constatação do personagem de Matheus Nachtergaele de que “bom é cinema onde a gente pode fazer o que quiser”, pois na realidade a gente, quase sempre, não pode interferir. E o real acontece ali na tela e dentro de nós. A impotência de se deixar atravessar pelos acontecimentos sem poder mudar o rumo de nada. A crueza do ser humano onde não há mocinhos e bandidos, mas somos todos a mistura da mesma merda que vai tombar no mesmo esgoto. E como único fato simbólico do filme, uma fossa é construída durante toda a fita tanto para ser a tumba do personagem Heitor ou de qualquer um de nós. O resto é o real acontecendo sem que haja qualquer sentido que possamos perceber. Porque, geralmente, a vida é assim. E Cláudio faz um cinema do povo que existe neste país. Chega, é muita porrada...

Só quando entra o letreiro com os créditos, acompanhados por uma bela melodia na voz de Siba, do Mestre Ambrósio, é que você percebe que era um filme e que acabou. Mas aí vem aquela sensação provocada pelo poeta, que volta a incomodar de forma recorrente: a merda toda continua acontecendo no mundo lá fora, o que se assistiu foi um trailer da vida como ela é, de Cláudio Assis reafirmando Nelson Rodrigues...

Humor global

Segunda postagem com tirinha do Nicholas Gurewitch, do sítio http://pbfcomics.com


E, abaixo, mais uma do Rafael Sica. Muito boa esta.Deixa eu ir embora que ainda vou no médico ver o que danado tem no meu ouvido e depois sigo pro Congresso Nordestino de Educação médica.

Abraços!

quarta-feira, 6 de junho de 2007

A pimentinha

Às vezes, quando não se tem o que dizer ou não se sabe o que falar, costuma-se soltar um singelo "sem comentários". Ninguém está imune a isso.

Mas tem certas coisas que, de fato, não necessitam ABSOLUTAMENTE de comentário algum. O vídeo abaixo é um desses:


Beijos!

segunda-feira, 4 de junho de 2007

Poetas Marginais do Recife

Vinha pensando numa postagem sobre a poesia marginal de Recife. Não só para divulgar, mas para conhecer um pouco mais a fundo.

Mas o fato é que encontrei um texto muito bom sobre o assunto, de Urariano Mota:
http://www.lainsignia.org/2007/junio/cul_005.htm
Segue um trecho:

"A poesia marginal de Pernambuco é um oceano que a imprensa não vê. Imaginem o tamanho da cegueira. São, por baixo, mais de 50 poetas, das mais ricas tendências, que se apresentam nos palcos, em shows, em recitais. Eles se fazem notar mais pela palavra falada que pela escrita. A razão é simples, se perdoam a pobreza do adjetivo. Os seus poemas estão em edições pequenas, de tiragens pequenas, de circulação pequena, a preço de duas cervejas. Daí o vulgo e a vulgar compreensão concluem que são poetas pequenos."

Recomendo muita esta leitura.

Termino esta indicação com a seguinte tirada de Valmir Jordão:
"Coca para os ricos / cola para os pobres / Coca-cola é isso aí!"

É isso aí!

beijos

domingo, 3 de junho de 2007

Farândola e 3º Cerveja e Chico

Meio que de repente marcamos de comemorar o aniversario de Gaby hoje no Farândola. Digo hoje porque acabei de chegar de lá.

O Farândola é um bar aqui em Olinda, que já há algum tempo tínhamos adotado para ir sempre. Nunca mais tinha ido com o pessoal da Ciranda.
E foi muito legal poder estar neste momento com queridas companheiras e queridos companheiros. Novos e Antigos. Senti saudades de um tempo que não faz muito tempo. Foi há pouco. Mas nunca mais tinha ido...

Espero continuar junto de muitas dessas pessoas. E olhe que lá faltaram muitos dos que sempre estiveram. Quero também esses por perto.

De quebra ainda encontramos por lá Tati, Jéssica e Maísa (ou Maysa?) :D

E por fim, quero anunciar que em breve estaremos realizando o 3º Cerveja e Chico! Das outras vezes optamos por não fazer uma grande divulgação. Mas as cobranças são cada vez maiores! Então, fica dito!

Abaixo, para não ficar sem música, Chico Buarque cantando Feijoada Completa. Só para dar o gostinho. Beijos!