sábado, 27 de janeiro de 2007

Tô no Rio

E ai pessoal,

Vim aqui justificar uma "nao-postagem". na realidade tava pensando em algo para pôr hoje mas não deu. Estou no rio de janeiro desde ontem. Vim para a Bienal da UNE.

Vou tentar fazer algumas postagens mais temáticas enquanto estiver aqui :)

Até logo!

quarta-feira, 24 de janeiro de 2007

E mais samba de qualidade

Adorei esse vídeo. Elis Regina e Adoniran Barbosa cantando em algum programa da Rede Bandeirantes a música Iracema, do próprio Adoniran.

Parece-me que foi gravado em 78 num especial de Elis Regina para a dita emissora de TV.

Adoniran é um dos maiores sambistas de nossa história. Ele retratou de uma maneira muito interessante a São Paulo de sua época, através de suas músicas. Aliás, muito se fala que neste estado pouco se produziu de samba. Pode até ser, mas basta saber que (além do Adoniran) o Paulo Vanzolini (Volta por cima) também é de lá, para se ter noção de que não foi tão pouco assim.

Algumas das músicas mais conhecidas do Adoniran são: Iracema, No Morro da Casa Verde, Saudosa Maloca, Samba do Arnesto, Tiro ao Álvaro.

Abaixo, o vídeo:

domingo, 21 de janeiro de 2007

E na capa não é um cu

ATUALIZAÇÃO em 16/11/13:
Volto a esta postagem quase sete anos depois (!!!) para atualizá-la. E ao que parece, a polêmica parece que nunca terá uma versão definitiva.

Segue link para texto de um publicitário que relata, segundo sua versão, como foi o processo:
http://chicoandrade.wordpress.com/2012/09/01/a-verdadeira-e-unica-historia-do-disco-do-tom-ze/

----
Postagem original:
Lendo por aqui que o Tom Zé estará no nosso carnaval (isso mesmo!!!) lembrei de uma conversa que tive esta semana na casa de minha amiga Maria Aléssio.
Era sobre a capa do disco "Todos os Olhos" de Tom Zé. Uns dizendo que era uma boca, outros dizendo que era um olho mesmo e houve até mesmo os que afirmaram que se tratava de um cu (estes eram os mais enfáticos, diga-se).

Dando uma pesquisada pela internet, achei uma reportagem da Carta Capital que conta a verdadeira história desta tão falada capa.

A verdade é que não é um cu. Abaixo um trecho da reportagem:

NÃO É O QUE PARECE
por Phydia de Athayde
A crônica de como se fez uma das capas de disco mais premiadas da história da MPB: Todos os Olhos, de Tom
Procura-se um motel. Na São Paulo de 1972 isso não é lá tão fácil de encontrar. O jeito é pegar a rodovia Raposo Tavares e afastar-se alguns quilômetros da cidade para estacionar o Fuscão 1500 bordô ao lado de caminhões que descansam sob a placa “Retiro Rodoviário”. O rapaz tem 22 anos, é cabeludo, usa faixa na cabeça e calça boca-de-sino. A moça tem vinte e poucos, é bonita, loira de cabelos compridos, tem os olhos claros, pinta de hippie e, assim como ele, é fã da Tropicália. Acessórios trazidos: uma máquina fotográfica alemã Praktika sem flash, quatro filmes Kodacolor ASA 100, dois abajures com lâmpadas de 100 W, fortíssimas, e uma caixa de… Bolinhas de gude?

Clique aqui para ler a reportagem completa.
A Polêmica Capa

quinta-feira, 18 de janeiro de 2007

O dia em que o Brasil foi invadido

Este video já está meio que virando um "clássico" na internet, mas vale a pena colocá-lo aqui.

O nome dele é "O dia em que o Brasil foi invadido" e foi produzido como projeto de conclusão de curso de uma faculdade aqui de Olinda.


segunda-feira, 15 de janeiro de 2007

Música

Bom, já é carnaval em Recife! Quanto ao blog, já vamos ao 10º post. Mas pouco coloquei sobre nossa cultura. Nossa, entenda como daqui do estado. Coisas mais ligadas ao frevo, por exemplo. Não que vamos dividir as culturas por regionais (!!!), até porque acredito que não existe o "samba carioca", "a música gaucha", etc. O que existe é o Samba, o Frevo. Seja ele feito em Pernambuco, no Rio, e por ai vai.

Indo ao que interessa, resolvi escrever isso porque, apesar de querer fazer algo em relação ao frevo (estamos completando 100 anos de frevo!!!), posto agora um video muito bom. Do pouco tempo que tenho livre, tiro tambem uma pequena parte para estudar e pesquisar um pouco sobre música. Ultimamente o samba tem me chamado mais a atenção. E o video que segue é relacionado a este tema. Trata-se de um trecho de um programa da TV Cultura chamado Sr. Brasil, exibido em 25/07/2006. Nele, uma bandinha da nova geraçao de sambistas, a Sururu na Roda, interpreta em sequência 4 músicas do Chico Buarque. Não direi quais sao as musicas. Deixo para quem visualizar.

Quanto ao Sururu na Roda, pouco sei ainda, além de que conta com a excelente Nilze Carvalho (toca cavaquinho e bandolim, além da fazer a voz). Tenho a impressão de que apenas interpretam canções já consagradas como essas de Chico.

eis o video:

quinta-feira, 11 de janeiro de 2007

Notícias de Brasília

Olá,
A postagem de hoje é múltipla.
1) 2 Notícias de Brasília que me chamaram a atenção:
- O apoio do PSDB à candidatura de Arlindo Chinaglia - Leia Aqui
Agora a candidatura petista tem o apoio das três maiores bancadas da câmara
- Procuradoria entra com ação por improbidade administrativa contra Raul Jungmann - Leia Aqui
Logo ele que fica posando de bonzinho.

2) Indicação do sítio Correio da Cidadania.
- Coordenado pelo grande Plinio de Arruda Sampaio, este sítio está sempre atualizado com muito boas análises políticas nacionais e internacionais.

3) Por fim, e para nao perder um costume, mais um cartum do Dahmer:
- Acho que tem tudo a ver com o momento histórico que vivemos.

terça-feira, 9 de janeiro de 2007

O Haiti não é aqui!

" E o venerável cardeal disser que vê tanto espírito no feto
E nenhum no marginal
E se, ao furar o sinal, o velho sinal vermelho habitual
Notar um homem mijando na esquina da rua sobre um saco
Brilhante de lixo do Leblon
E quando ouvir o silêncio sorridente de São Paulo
Diante da chacina
111 presos indefesos, mas presos são quase todos pretos
Ou quase pretos, ou quase brancos quase pretos de tão pobres
E pobres são como podres e todos sabem como se tratam os pretos
E quando você for dar uma volta no Caribe
E quando for trepar sem camisinha
E apresentar sua participação inteligente no bloqueio a Cuba
Pense no Haiti, reze pelo Haiti
O Haiti é aqui
O Haiti não é aqui"


Assim termina a música "Haiti" de Caetano Veloso e Gilberto Gil.
Nunca fui muito chegado à música de Caetano não. Com algumas poucas exceções. Mas ela me veio à cabeça ao ler a reportagem que coloco abaixo. Sem comentários... e isso tudo pro Brasil "ficar bem na fita" com a ONU. Lamentável.
Abaixo a reportagem de http://www.adital.com.br:

09.01.07 - HAITI
Carros blindados atacam homens, mulheres e crianças em Cité Soleil

Adital - Na madrugada de 22 de dezembro, desde aproximadamente as três da manhã, 400 soldados das forças de ocupação da ONU, comandadas por brasileiros, com veículos blindados, realizaram ataque massivo contra a população de Cité Soleil, sitiando uma vez mais aquela comunidade empobrecida.
Para ler o texto completo, aperta aqui
Para ler a letra de "Haiti", aperta aqui

Cartum

Abaixo, um cartum do Allan Sieber. Pra mim, este cara figura entre os melhores cartunistas da nova geração brasileira. Também manda bem com animações. Logo, coloco aqui a minha preferida, que é "Deus é Pai".

Quanto ao cartum abaixo, como o próprio autor coloca no titulo ("As piadas mais vagabundas de todos os tempos"), não está entre os melhores dele, mas vale a pena colocá-la. Tem a cara das piadas de um amigo chamado Leonel!

Para melhor visualizá-la, clique na figura
O sítio do Allan Sieber é www.allansieber.com

segunda-feira, 8 de janeiro de 2007

Música de (muitíssima) qualidade

E ai pessoal,

Esta postagem é para indicação de um CD e de um Blog.
O CD é "De Vinicius e Baden - Especialmente para Ciro monteiro - 1965".
Imperdível! Cyro, "o rei do telecoteco", cantando músicas compostas para o próprio por Vinicius de Moraes e Baden Powell.

Sobre Cyro, Vinicius escreveu: "Uma criatura de qualidades tão raras que eu acho deplorável qualquer de seus amigos não se haver dito, num dia de humildade, que gostaria de ser Cyro Monteiro. Pois Cyro, pra lá do cantor e do homem excepcional, é um grande abraço em toda a humanidade. ".

O primeiro grande sucesso gravado de Cyro foi "Se acaso você chegasse" de Lupicinio Rodrigues. Outros grande sucessos foram Falsa Baiana e Escurinho, ambos de Geraldo Pereira (em outro momento falo dele). Um dado interessante é que este dois sambas foram o primeiro e o último, respectivamente, compostos por Geraldo Pereira.

Destaco também uma que tenho aqui no computador, mais precisamente para o programa Ensaio da Tv Cultura em 72, com a música "A mesma rosa amarela" de nosso grande Capiba. Infelizmente, creio que o Cyro nao chegou a gravar esta música em algum álbum seu.
Para baixar aperta aqui.


A indicação do blog é o Capsula da Cultura. Blog massa que disponibiliza sempre música de muito boa qualidade para download. Desde o dia 7 deste mês, o Cápsula ganhou novo formato, o que melhorou o que já era muito bom. Destaque para os podcasts de Samba! Em breve, a idéia é que tenhamos podcasts do Propalando também. Mesmo com pouquíssimo tempo para me dedicar a isso, tenho há algumas semanas estudado a melhor forma de fazê-los. :) Não sabe o que é Podcast? Aperta Aqui

fontes: pt.wikipedia.org * www.samba-choro.com.br/artistas/cyromonteiro * Pasquim Mº 48 - maio de 1970 * www.capsuladacultura.com.br

quarta-feira, 3 de janeiro de 2007

O Fim do Homem Cordial

E ai pessoal,

Olha, estou postando agora um curta metragem muito bom feito em 2004 na Bahia.

Trata-se do filme O Fim do Homem Cordial, dirigido por Daniel Lisboa. Por si só, o filme já me agradou bastante. Não por estética ou nenhum primor de qualidade técnica que ele possa apresentar, mas pela mensagem que ele tenta passar, numa situação, diria eu, minimamente interessante.

O fato é que esse filme tem algumas curiosidades. A maior delas é a seguinte: tal filme foi o principal ganhador do festival de cinco minutos, patrocinado pelo DIMAS (da Fundação Cultural do Estado da Bahia), em 2004. Bom, parabens, né? Mas e dai? O curioso da história é que o filme é uma crítica feroz ao Carlismo na Bahia e, que por um descuido, terminou ganhando o festival. O que se sabe é que isso abalou as estruturas da Fundação Cultural la do Estado, na época que o Carlismo ainda tomava conta do governo.

Mas vamos ao filme:
Para baixa-lo: Clique Aqui
Para assisti-lo pelo PortaCurtas: Clique Aqui
E-mail do autor